Entrevista: Diogo Coelho

By 04.08.2020 Library

Nome: Diogo Queiros Coelho
Idade: 31 anos
Formação: Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica
Instituição de Ensino: Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto
Função atual: Gestor de Montagens Mecânicas
Controlar - Diogo Coelho

Conte-nos um pouco do seu percurso profissional antes de chegar à empresa.

Estou na Controlar há quatro anos e quatro meses. Licenciei-me em engenharia mecânica na FEUP e, pouco tempo depois, comecei a trabalhar na Martifer, inicialmente nos estaleiros navais de Aveiro, e posteriormente nos estaleiros navais de Viana do Castelo, aquando a subconcessão à Martifer.

Na totalidade, estive cerca de dois anos na empresa, onde fazia parte da equipa de engenharia de produção mecânica, com funções similares às desempenhadas na Controlar. Surgiu depois a oportunidade de me mudar para a Parker, onde estive praticamente um ano, aí como Inside Sales. Infelizmente, como é uma multinacional, a delegação em Portugal decidiu fechar portas e concentrar as operações em Madrid. Embora tenha sido convidado a mudar-me para Madrid, decidi recusar, surgindo depois a oportunidade de integrar a Controlar, onde estou até hoje.

É responsável pelo Departamento de Montagens de Mecânica da Controlar. Quer partilhar um pouco do seu dia a dia?

Sim, estou nessas funções desde outubro de 2018, estando até aí integrado também na equipa de Projeto Mecânico, fazendo a ponte entre o projeto e a produção/montagens. Com o crescimento da Controlar e do departamento de mecânica, houve a necessidade de criar o departamento de montagens, a que pertenço e pelo qual sou responsável.

Além da gestão e planeamento de todas as atividades do departamento, tenho ainda a responsabilidade de, no final do projeto mecânico, lançar todos os pedidos para encomenda dos diversos materiais, garantindo posteriormente o cumprimento dos prazos e a qualidade do trabalho.

Os meus dias nunca são monótonos, pois existe sempre a necessidade de fazer um acompanhamento de perto dos projetos em fase de montagens, dado que surgem sempre dúvidas, questões e aspetos em falta que só é possível colmatar em tempo útil devido a este acompanhamento.

Destacaria algum projeto especial ao longo do tempo de trabalho na Controlar?

Todos os projetos são importantes e todos eles merecem o nosso empenho a 100%, pois refletem o sucesso da Controlar na indústria em que estamos inseridos. Contudo, o que mais me marcou, e talvez tenha exigido de mim, foi o projeto das “estações de download”, dada a sua dimensão, os prazos de entrega muito apertados e também por ser o primeiro grande projeto em que estive envolvido desde que entrei na empresa.

Depois deste muitos outros se seguiram, igualmente desafiantes, não só pelos motivos enumerados, mas também pelo grau de complexidade que apresentaram. Só assim somos capazes de aprender e evoluir.

O que é que aprecia mais no seu trabalho na Controlar?

Das diversas tarefas que tenho na Controlar, aquilo que mais aprecio no meu trabalho é o facto de nunca ter dois dias iguais e de poder contribuir e estar envolvido em grande parte dos projetos desenvolvidos internamente na empresa. Desde o contacto permanente com os fornecedores para o cumprimento dos prazos de entrega, até aos desafios e obstáculos que vão surgindo ao longo do projeto, especialmente na fase de montagem, estes são fatores que tornam o trabalho que faço mais desafiante o que me permitem aprender e evoluir cada vez mais.

Quais os desafios que os colaboradores das Montagens de Mecânica enfrentam face à conjuntura atual e às recomendações de distanciamento social?

Visto que somos um departamento relativamente pequeno (com sete pessoas), a interação e entreajuda entre todos é permanente, havendo sempre necessidade de estarmos próximos uns dos outros.

Face à conjuntura atual, foi necessário adaptar algumas regras implementadas pela Controlar, o que inicialmente causou algum desconforto, mas a que ao longo do tempo nos temos adaptado. Percebemos rapidamente que este seria o nosso “novo” dia a dia.

E nos próximos anos: o que deve manter-se e o que deve mudar?

Estando inserido no departamento de mecânica, e por a componente mecânica ser a base de muito o que se faz hoje em dia na Controlar, além de desejar o crescimento de toda a empresa, gostaria que o Departamento de Mecânica continuasse a crescer de modo a fazer face a todos os desafios que se avizinham.

Já os aspetos que na minha opinião se devem manter, e que desde o primeiro dia que entrei na Controlar admirei, são as condições de trabalho que a empresa nos proporciona, como também o bom ambiente que se faz sentir entre todos os colaboradores.

Quais são as aptidões e características necessárias para o bom desempenho da sua profissão?

Na minha profissão, especialmente nas funções que desempenho na Controlar, penso que as características que mais me ajudam a garantir o sucesso e o desempenho profissional são a organização e o bom relacionamento que tento manter, quer com os colaboradores, como também com os diversos fornecedores. O facto de muitas vezes termos diversos projetos em curso e com prazos apertados, leva-nos facilmente a cometer erros e falhas se não tivermos uma capacidade de organização boa.

Aliadas a estas características, as aptidões técnicas aprendidas durante o meu trajeto universitário e desenvolvidas posteriormente no meu percurso profissional, ajudam-me a conseguir por vezes detetar e solucionar alguns problemas que surgem no dia a dia.